quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

FILME: RITMO ALUCINANTE (1975)


(Ritmo Alucinante, 1975)
• Direção: Marcelo França
• Roteiro: Marcelo França
• Gênero: Documentário/Música
• Origem: Brasil
• Duração: 84 minutos
• Tipo: Longa-metragem

Sinopse: Documentário histórico feito em 1975 que registra aquele que é considerado o primeiro grande festival de rock do país - o Hollywood Rock, organizado por Nelson Motta, que reuniu ícones da música como Raul Seixas, Rita Lee & Tutti-frutti, Erasmo Carlos, Celly Campelo e outros tantos. 

Elenco  
• Rita Lee    Ela mesma 
• Luis Sérgio Carlini  Tutti Frutti 
• Lee Marcucci  Tutti Frutti 
• Emilson Colantônio  Tutti Frutti 
• Lulu Santos    Vímana 
• Fernando Gama  Vímana 
• Luiz Paulo Simas  Vímana 
• Candinho  Vímana 
• Luis Carlos Porto  Peso 
• Gabriel O\'Meara  Peso 
• Constant Papineau  Peso 
• Carlinhos Scart  Peso 
• Carlos Graça  Peso 
• Erasmo Carlos    Ele mesmo 
• Cely Campello  Ela mesma 
• Raul Seixas    Ele mesmo 


Rodado em 1975, o documentário registra o que deve ter sido o primeiro grande festival de rock do país. Organizado por Nelson Motta, o Hollywood Rock reuniu nomes como Raul Seixas, Rita Lee & Tutti-frutti, Erasmo Carlos e Celly Campelo. O documentário registra performances desses artistas e algumas curtas entrevistas.

Quem abre o filme é Rita Lee, com sua banda pós-Mutantes, o Tutti-frutti. Ver a perfomance da cantora há mais de 30 anos atrás é entender a sua importância para a história do rock no Brasil. Se hoje Rita é uma senhora (quase) comportada, a menina no palco do Hollywood é uma feminista sexy e endiabrada, que valeu do câmera indiscreto um zoom nas partes baixas.
Em seguida, entra em cena o Vímana, banda conhecida apenas do mais aficcionados do rock da época, mas que teve em sua formação Lulu Santos, Lobão e Ritchie (aquele que cantava Menina Veneno, lembra?). A banda, que fazia uma espécie de rock progressivo, teve problemas no som e apenas uma performance ficou registrada no filme.
Mesmo rótulo musical levou o som d'O Peso, outra banda que ficou guardada no baú dos anos 70, mas que merece um resgate rápido. O vocalista Luiz Carlos Porto tinha um estilo rock-sexy-blueseiro e um vozeirão impecável. E a banda acompanhava na psicodelia.
O amigo do Rei, Erasmo Carlos, é o terceiro a aparecer. No filme, o cantor está a cara do Elvis Presley. Porém, o som de Erasmo vai além dessa imagem. Ele se apresenta com um sopro fazendo as vezes de guitarra e aparece em um depoimento revelador sobre a época. Erasmo defende a brasilidade da sua música. “Eu nasci aqui (no Brasil), faço música aqui. Então se eu sou brasileiro, a música que eu faço é a mais brasileira possível”, dispara ele.
Celly Campelo também fala sobre as dificuldades de se fazer rock no Brasil, passando por temas como a obrigatoriedade de gravar versões de músicas estrangeiras.
Mas, o filé está no final, onde Raul Seixas manda o seu recado. São mais de 20 minutos com o cantor, que já era o maior nome do rock nacional à época, enlouquecendo a platéia e sendo ovacionado por ela.
Ritmo Alucinante - A Explosão do Rock No Brasil é apenas a ponta de um iceberg que ainda precisa ser explorado: o de imagens do rock brasileiro nos seus primórdios. A peróla pode ser vista no site Milvinil
FOTOS

Publicado originalmente na revista Alternativa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário